top of page

Psicanalistas do ISMC comemoram 100 anos de Ulysses

O dia que entrou para a história dos psicanalistas do Instituto de Saúde Mental e do Comportamento - ISMC. Em meio a atividades intelectuais, lançamento de livro, reencontros, coquetel, baile de carnaval e fotos, comemoramos o nosso Blooms Day com muita aprendizagem e em grande estilo.


Em 26 de agosto de 2022, no Hotel South América, em Copacabana - Rio de Janeiro, aconteceu o tradicional encontro presencial semestral do (Per)Curso do ISMC. Com traje dos anos 20, foi uma noite para gozar da companhia das pessoas que estudam a psicanálise semanalmente, ao vivo, em encontros on-line, e também comemorar os 100 anos da publicação do livro Ulysses, do escritor modernista irlandês James Joyce.


Por causa da representatividade desta obra em vários campos de conhecimento, esta celebração acontece em várias partes do mundo e recebe o nome de Blooms Day, comumente comemorado no dia 16 de junho. Neste dia, os fãs do mundo inteiro promovem debates, apresentações de trabalhos intelectuais e refazem percursos dos personagens Stephen Dedalus e Leopold Bloom.


Para os psicanalistas, o inovador romance deste escritor irlandês possui grande estima e relevância, por se tratar de uma obra literária na qual a diversidade dos estilos e da multiplicidade de formas do emprego da linguagem tenta apresentar a experiência humana, principalmente do inconsciente, através do que é chamado de metempsicose. Este conceito refere-se ao recurso da linguagem que causa a impressão de uma transmutação da alma, de modo que possibilitam uma análise do comportamento, da dinâmica e das experiências dos personalidade durante o decorrer das histórias.


O professor Diogo Bonioli apresenta a ideia de que Ulysses está para Lacan, assim como a autobiografia de Schreber está para Freud. Pela apresentação da obra de ambos, estes importantes teóricos da psicanálise nos permitem ter acesso às estruturas do desejo e suas relações com as estruturas clínicas psicanalíticas. Nada fica oculto na obra de Joyce. "Para os estudantes de psicanálise, comemorar e estudar o Ulysses é mergulhar na estrutura da linguagem da psicose, conhecer a impossibilidade da relação sexual e a (in)diferenciação dos sexos."


Já para o psicanalista Wellington Espíndola, participar deste encontro foi de extrema representatividade. "A obra de James Joyce escapa de rótulos e definições prontas, da mesma forma como Psicanálise entende o sujeito humano. Todos ou Não-Todos atravessados por uma linguagem que vai no avesso das atuais tentativas de polarização ou generalização. O texto em Ulysses provoca e evoca algo semelhante à estrutura de linguagem do inconsciente, aparentemente caótica e ininteligível, porém com uma lógica própria, única, particular - assim como cada pessoa presente no evento" - afirmou o estudioso.


"Na minha opinião, o Blooms Day, de 2022, teve vários 'pontos altos', do início ao fim: todos nós vestidos à caráter, a peça que foi brilhante/surpreendente e atraiu toda a minha atenção, o DJ que trouxe todos para a pista animando perfeitamente

e, fechando com chave de ouro, a banda que eu AMEI! Ah, as comidas e bebidas também, tudo perfeito!" Afirma a Bruna, estudante de psicanálise do ISMC, no dia em que também conheceu pessoalmente Antônio Quinet.


Para todos e todas, estar no Blooms Day foi inesquecível..



131 visualizações7 comentários

Posts recentes

Ver tudo

7 commenti


Natália Espíndola
Natália Espíndola
02 ott 2022

Blooms Day foi maravilho, estar com os outros participantes do cartel foi fantástico conheci pessoas incríveis foi um dia para não esquecer mais!!!

Mi piace

Wellington Espíndola
Wellington Espíndola
28 set 2022

Foi fantástico! Conheci pessoas incríveis. Que venham mais eventos como esse,

Mi piace

Emílio Nunes
Emílio Nunes
16 set 2022

Experiência unica!

Muito bom ter participado deste evento. Que venham outros encontros de confraternização e conhecimento.


Mi piace

Patrick Tavares
Patrick Tavares
16 set 2022

Ter participado do Blooms Day foi uma experiência gratificante a nível profissional e pessoal.

A atmosfera da década de 20, a dramatização e a música foram aspectos extremamente contagiantes, além da presença relevante e altamente significativa de Antônio Quinet e o lançamento de seu livro.

Saber que me encontrava num evento que também era celebrado em várias partes do mundo, deu àquela noite um tom legitimo e único dentro do universo da psicanálise, contribuindo para o êxito que desejo alcançar em minha trajetória acadêmica e profissional.

Mi piace

Foi mesmo incrível! Fiquei muito feliz em estar com vocês nesse encontro maravilhoso e surpreendente.

Mi piace
bottom of page